10 tratamentos caseiros para combater o fígado gordo e outras doenças hepáticas!

4659

Todo mundo sabe que o consumo excessivo de álcool pode causar problemas no fígado.

No entanto, muitos desconhecem o fato de que é possível sofrer com alguma doença hepática mesmo sem colocar um pingo de bebida na boca – que é o que chamamos de fígado gordo não alcoólico.

O perigo dessa doença é que muitas vezes ela não manifesta sintomas, então fica praticamente impossível identificá-la.

Quando os sintomas aparecem, geralmente as pessoas sentem: fadiga, mal-estar, perda de peso e dor no abdome superior direito.

A esteatose hepática não passa de um acúmulo de gordura no fígado e que pode piorar se você estiver acima da peso, diabetes, obesidade, colesterol elevado, hepatite viral, hipertensão ou consumir drogas.

Para combater o problema, é importante seguir algumas alternativas naturais, como:

1. Exercício

É muito bom praticar exercícios principalmente para perder peso, pois o excesso de gordura é um dos principais agravantes da doença.

Algumas pesquisas descobriram que a prática de exercício e treinamento de resistência ajudam bastante a melhorar a função hepática.

Treine 40 minutos de moderado a intenso exercício aeróbico cinco dias por semana.

Isso ajudará bastante.

2. Dieta de baixo índice glicêmico

Uma dieta especial não só combate o problema, como previne.

Coma alimentos com um índice glicêmico de 55 ou menos, como vegetais ovos, cebola, feijão, alho, maçã, pera, brócolis, couve, repolho, cenoura, alcachofra e folhas verdes.

3. Cardo-mariano (Silybum marianum) ou milk thistle em inglês

Esta planta é excelente para melhorar a função hepática, tratar e previnir problemas no fígado.

Flavonoides que estão na composição do cardo-mariano podem proteger o fígado e nos ajudar a melhorar o processo de desintoxicação.

O bom é que esse ingrediente também é recomendado para quem sofre com hepatite alcoólica, cirrose ou hepatite viral.

4. Chá de dente –de-leão

Deve ser consumido para estimular a função do fígado de desintoxicar a gordura que se acumula.

Você pode tomar o chá para tratar a doença hepática gordurosa.

Você deve beber três xícaras por dia por um período de três semanas.

5. Açafrão-da-terra (cúrcuma)

Trata os danos no fígado, pois é anti-inflamatório.

Além disso, minimiza o estresse oxidativo, alterando o metabolismo de gordura e melhora a sensibilidade à insulina.

O açafrão-da-terra também pode ajudar a combater a fibrose hepática e câncer de fígado.

Você pode consumir o chá de açafrão ou usar o pó nas suas refeições.

6. Lima e limão

Ajudam a desintoxicar o fígado, combatendo o acúmulo de gordura e o estresse oxidativo no órgão.

7. Salsa

Além de ajudar na digestão, a salsa também beneficia a saúde do fígado.

8. Coentro

É um excelente desintoxicante dos rins e do fígado e, por isso, é muito útil no tratamento de doenças hepáticas.

9. Canela

Ajuda todo o processo digestivo e também é um ótimo desintoxicante hepático.

10. Linhaça

Ajuda a prevenir o fígado gordo não alcoólico, evitando o acúmulo de gordura no fígado.

Sintomas que podem indicar câncer
Os sintomas mais comuns que podem surgir no câncer do fígado, incluem:

Dor na barriga, especialmente no lado direito do abdômen;
Inchaço da barriga;
Perda de peso sem causa aparente;
Perda do apetite;
Cansaço excessivo;
Pele e olhos amarelados;
Enjoos constantes.
Infelizmente estes sintomas normalmente surgem quando o câncer já está bem desenvolvido e, por isso, na maioria dos casos, o câncer de fígado pode ser descoberto numa fase avançada, o que diminui as suas chances de cura.

Assim, quando existem fatores de risco, como consumo excessivo de álcool ou doenças no fígado, é importante fazer consultas regulares no hepatologista para avaliar frequentemente o fígado e observar alterações que possam surgir.

O que fazer em caso de suspeita
Nos casos em que surge algum destes sintomas, ou existem muitos fatores de risco, é aconselhado consultar um hepatologista para fazer exames de diagnóstico, como ultrassom do abdômen, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, para confirmar se existem alterações que possam indicar a presença de uma mancha ou nódulo que seja sugestivo de tumor.

É importante lembrar que nem todo nódulo ou cisto no fígado indicam câncer, devendo aguardar a análise do médico das suas características, podendo concluir se há risco ou não. Se forem identificadas alterações suspeitas, o médico pode pedir uma biópsia de um pedaço de fígado, para comprovar em laboratório se existem células cancerígenas no órgão. Entenda quando o cisto no fígado é perigoso.

Para os casos menos suspeitos, é indicado repetir os exames periodicamente, a cada ano ou a cada 3 anos, de acordo com cada caso, para que seja possível acompanhar se há crescimento ou desenvolvimento de novas características que possam indicar câncer.

Quem tem maior risco
Apesar de qualquer pessoa poder desenvolver o câncer no fígado, este tipo de câncer é mais comum em pessoas com:

Infecção crônica com Hepatite B ou Hepatite C;
Cirrose;
Uso de anabolizantes;
Diabetes;
Gordura no fígado;
Consumo excessivo de álcool.
Além disso, casos de colite ulcerativa ou de colangite esclerosante de longa duração também podem desenvolver câncer no fígado mais facilmente.

COMPARTILHAR